X

Medvedev: 'Anos atrás parecia impossível alcançar o top 300'

Segunda, 23 de março 2020 às 10:25:43 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Atual quinto do mundo e vice-campeão do US Open, Daniil Medvedev concedeu entrevista ao Behind the Racquet e destacou que certa vez na carreira achou impossível entrar entre os 300 melhores do mundo em bate-papo com Aleksandr Bublik.



"Sempre houve contrate entre meu pai e minha mãe. Minha mãe queria que me dedicasse aos estudos, por isso fiquei na escola até os 18 anos. Na Rússia muitos atletas estudam até os 12 anos. Então talvez não fosse tãoforte quanto meus amigos, mas não tenho lamentações. Foram tempos difíceis antes da ajuda da Federação e a ajuda dos patrocinadores, onde não havia muito dinheiro. Houve um tempo em que perdia johos e a única coisa que pensava eram nos 100 dólares extras que não era capaz de ganhar. O mais difícil período para mim foi a transição do juvenil para o profissional".

"No juvenil eu fui 13 do mundo e ia aos futures profissionais e imediatamente entendi o quão difíceis era para sair de 700 para 300 domundo. Era necessário ter mais dinheiro possível para tentar ganhar cinco ou seis futures rapidamente. Nesse momento fiquei perdido, não sabia o que fazer porque muitos outros jogadores estavam na mesma. Lembro de uma conversa com o Bublik quando jogava future 30 minutos de onde vivia naFrança. Estava 700 do mundo e perguntei a ele: "Mas como você se tornou 300 do mundo, parece impossível!".

Hoje Bublik é 51 do mundo.

"Agora quando nos vemos, nós brincamos. Mesmo quando alcancei o top 100 sabia que não era um profissional verdadeiro. Dava 100% em quadra, mas fora não fazia as coisas corretas, ia dormir tarde, jogava Playstation, não prestava atenção em pequenas coisas. Quando passei do 70 ao quinto lugar foi o momento que passei a me dedicar totalmente ao tênis e colocar limites. Quando juvenil era um dos piores em condição física, às vezes com cãibras com só 30 minutos de jogo. Ter constância física e saber que me recuperaria todo o dia mudou meu jogo".