X

Novak Djokovic: 32 anos de uma vida vitoriosa

Quarta, 22 de maio 2019 às 12:24:13 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller – Nesta quarta-feira, dia 22 de maio de 2019, o sérvio Novak Djokovic completa 32 anos de idade e celebra uma vida repleta de vitórias, que se iniciaram muito antes de o tenista aparecer no ranking da ATP.



Djokovic nasceu na cidade de Belgrado em 22 de maio de 1987, uma época em que a Sérvia pertencia à extinta Iugoslávia. O pequeno país, que foi um dos últimos a declarar sua independência — apenas em 2003 — sofreu com ataques e bombardeios constantes ao longo dos anos 90 durante as guerras civis de separação da Iugoslávia.

Neste cenário de caos completo, o jovem Novak e seus irmãos conseguiram treinar entre bombardeios e o som de sirenes, algumas vezes até em piscinas vazias para se proteger dos conflitos. O jovem tenista permaneceu em seu país até seus 12 anos, quando foi para a Alemanha se dedicar integralmente à sua formação.

Quatro anos depois, em 2003, fazia sua estreia no circuito profissional, em Future de $10,000 na própria Alemanha. Foram duas derrotas até que Djokovic engrenasse e, já em seu terceiro torneio, conquistasse seu primeiro título como profissional, justamente em sua terra natal em outro Future de $10,000.

Mais dois títulos de Future e menos de um ano depois, em maio 2004, Djokovic disputou seu segundo torneio Challenger, na cidade húngara de Budapeste, de onde saiu campeão e entrou para o grupo dos 400 melhores do mundo.

Djokovic conquistaria ainda mais três títulos no circuito Challenger até que, em 2006 aos 19 anos de idade, conquistasse seu primeiro torneio de nível ATP, no extinto torneio holandês de Amersfoot. Ainda naquele ano levantou sua segunda taça, no ATP de Metz.

A evolução foi tamanha nos anos seguintes, que o tenista conquistou já em 2007 seu primeiro Masters 1000 (que na época ainda se chamava Masters Series) em Miami e, no ano seguinte, surpreendeu o mundo ao superar o francês Jo-Wilfried Tsonga na decisão do Australian Open, conquistando seu primeiro Grand Slam, e fechou o a temporada com chave de ouro ao conquistar o ATP Finals.

Os números da carreira de Djokovic são impressionantes. Até o momento, o sérvio conquistou 74 títulos de nível ATP, sendo destes 15 Grand Slams, feito que o posiciona como o terceiro maior vencedor da história dentre os homens, atrás apenas de Roger Federer, com 20; e de Rafael Nadal, com 17 conquistas.

Ainda nos Grand Slams, o sérvio estabeleceu uma marca impressionante no Australian Open 2019, ao ser o primeiro na história a conquistar o evento em sete ocasiões. Nos Masters 1000, mais recordes. Com 33 conquistas, é o segundo maior vencedor de todos os tempos, atrás apenas do espanhol Rafael Nadal, que conquistou seu 34º troféu no Masters 1000 de Roma; é também o único em toda a história a vencer todos os torneios desta classe.

Tamanhas regularidade e vitórias, o sérvio tornou-se o jogador com mais pontos na história, ao somar 16.950 pontos em 2016. Cinco anos antes, em 2011, estabeleceu o recorde de maior número de vitórias consecutivas no circuito, com 39, série interrompida apenas pelo suíço Roger Federer na semifinal de Roland Garros.

Djokovic também é o quinto maior líder da história do ranking da ATP, com 252 semanas totais. Neste ano ainda pode superar o quarto colocado Jimmy Connors (269 semanas) e até mesmo o terceiro, Ivan Lendl (271 semanas). Caso consiga, ficará apenas atrás de Pete Sampras (286) e de Roger Federer (310).

Representando seu país, conquistou o bronze nas Olimpíadas de Pequim, em 2008; chegou à decisão da Hopman Cup em 2008 e 2013; e liderou a seleção sérvia ao título da Copa Davis em 2010, superando a França na decisão.