X

O mundo do tênis lamenta a aposentadoria de Murray e exalta sua carreira

Sexta, 11 de janeiro 2019 às 00:25:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O mundo do tênis foi pego de surpresa pelo anúncio feito pelo escocês Andy Murray de que não consegue se recuperar plenamente da lesão no quadril e por isso se aposentará do tênis, com expectativa de jogar pela última vez em Wimbledon.



Treinadores, atletas e ex-atletas renderam-se em lamentar a aposentadoria ressaltando os exemplos de ética, empatia e o grande campeão que o filho mais novo de Judy Murray foi para o tênis.
O experiente treinador australiano Darren Cahill escreveu: "Quando você procurar por exemplos de "esvaziou o balde para ser o melhor possível", lá deve estar uma foto de Andy Murray sentado abaixo da frase. Disciplina notável para treinamento, competição, sacrifício, perfeição e um pouco doido, mas uma lenda. Bravo Andy!" e o venezuelano Daniel Vallverdú, ex-treinador de Andy e amigo pessoal do escocês, completou a fala de Cahill: "Seja lá o que for que você tenha como "esvaziar o balde", Murray é 5 vezes isso.  Obrigado Andy, obrigado por sempre ser você. Nº1".

O ex-número 1 do mundo Andy Roddick, que competiu contra Murray e se aposentou em 2012, ainda duvidava da notícia quando tuitou: "Se isso for verdade, eu tiro meu chapéu para Andy Murray! Uma lenda. Membro de uma curta lista de estrategistas. Resultados surreais numa era brutal. Nada além de respeito. Espero que ele possa parar forte e saudável" e seguiu escrevendo: "Pensando alto aqui. Ele merece um momento para se despedir em Wimbledon. Ele é muito importante para a Grã-Bretanha e Wimbledon para não viver isso. Seria um momento muito legal ele jogar duplas com o irmão, se ele não puder jogar em simples".

Jamie Murray, irmão mais velho de Andy, é parceiro no circuito profissional do mineiro Bruno Soares.

 

O ex-número 2 do mundo, o sueco Magnus Norman, que também se retirou do tênis por problemas no quadril, escreveu: "Se é verdade, eu sinto-me mal por Andy Murray. Maravilhoso jogador, lutador, número 1 do mundo, múltiplo campeão de Grand Slam. Meu mais profundo respeito".

Norman foi retweetado por Stan Wawrinka, que ainda compartilhou a postagem de Cahill e se manifestou com emojis tristes com a notícia da retirada do escocês. 

O argentino Juan Martín del Potro, que conhece como poucos a luta para retornar ao circuito após lesões e cirurgias, deixou uma mensagem bonita e motivadora ao escocês:"Andy, acabei de assistir sua coletiva de imprensa. Por favor, não pare de tentar. Continue lutando. Eu posso imaginar sua dor e tristeza. Espero que você possa superar isso. Você merece uma aposentadoria nos seus termos, não importa quando aconteça. Nós amamos você, Andy Murray e queremos te ver feliz e fazendo as coisas bem".

A belga Kim Clijsters, também ex-número 1, disse que seu "coração se despedaçou ao ouvir a coletiva de imprensa" de Murray e disse que espera que ele possa se retirar em Wimbledon como deseja.


Já o sul-africano Kevin Anderson publicou uma foto do confronto contra o escocês na final do ATP 500 de Queen's em 2015 vencida por Andy e disse: "O tênis é melhor com você".